Segunda-feira, 7 de Setembro de 2009

A desgraça da Queda

 

As crises têm este efeito de maré baixa. Revelam uma linha de lodo que não se via na maré alta. Estamos por estes dias precisamente num desses momentos de revelação, onde os mitos do passado tombam com estrondo assustador.

 

A propósito, em 2006, o Ministério da Economia realizou umas pomposas conferências chamadas de Thinkonomics por onde desfilaram as figuras maiores dos empreendimentos do Portugal de então. Uma selecção de luxo, cheia de sucessos retumbantes e visões em glória.

 

Pouco mais de dois anos volvidos e já se abatem os mitos. Qimonda, Aerosoles, La Seda, Chipidea, são alguns dos ilustres pés de barro que se desmoronaram pouco tempo depois de serem casos de estudo em sucesso.  Esta mortalidade empresarial (acima dos  20%), não seria muito má, se não estivéssemos a falar da selecção nacional. Mas pensar que uma em cada 5 empresas de sucesso não resiste um par de anos sem explodir é bastante aborrecido.

 

Justificava tentar perceber o que leva estas empresas a cair tão rápido depois de chegarem tão alto. Talvez a explicação seja que afinal de contas não tinham tanto mérito como tiveram mimo. Talvez esteja o país tão necessitado de heróis que nem vê para além dos sinais exteriores de sucesso. Talvez o motivo pelo qual estas empresas fizeram vista foi porque investiram mais em parecer e aparecer do que nas suas competências.

 

O triste facto é que ficámos todos muito mais pobres, pela perda destas empresas e mais pela perda do investimento que foi feito a endeusa-las. Da próxima vez, um pouco de prudência vinha a calhar. Talvez só escolher empresas que sejam de facto relevantes e lucrativas. Até porque daquela lista estou a ver mais 4 empresas que vão desiludir.

 

 

 

 

Para curiosidade a selecção 2006 era (excluindo empresas públicas):

- Logoplaste
- Amorim
- YDreams
- CUF 
- Mota-Engil
- Qimonda
- Aerosoles

- Sonae
- Martifer
- Aquapura
- Pestana
- Autoeuropa
- La Seda de Barcelona
- Salsa
- Simoldes
- Chipidea
- Altri
- Renova
- Portucel
- Brisa
- Generg
- Frezite
- Bial
- Continental
- Sogrape 

publicado por Consumering às 19:17
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De lookingforjohn a 8 de Setembro de 2009 às 09:26
"afinal de contas não tinham tanto mérito como tiveram mimo" - precisamente, mas afinal não é isto a "política" em Portugal? Não é isso que quase toda a gente procura? Em vez do passo em frente, a mão estendida; Em vez do mérito, a mediatização.
Assim de repente lembro-me de: agricultura; leite; administração pública. Ah! e do P&C de ontem, em que a dado passo só se falou em "qualificações" como a chave para a produtividade... não em "saber" ou em "competência", mas em "qualificações"... - "eu tenho um canudeco, dêem-me um (bom) emprego, trago comigo produtividade!!"
p.s. 1: Um mês sem "postar"...
p.s. 2: Aquela situação do "consumering" espanhol conheceu algum desenvolvimento? (http://consumering.blogs.sapo.pt/150302.html)

Saudações, e bom regresso pós "bacances"...
De Consumering a 8 de Setembro de 2009 às 10:00
PS - a ausência nem sequer se deve a ter ido a banhos, é mesmo excesso de actividades :( nenhuma delas bloggeira

Comentar post

Sobre a Consumering

Reclamações e Sugestões
h.a@consumering.pt

Consumering
Para transformar os seus produtos em marcas preferidas pelo consumidor, conheça a Consumering.

Twitter

Bibliografia


...a (R)EVOLUÇÃO está prestes a começar.

...vai saber como fazer da sua marca a favorita dos consumidores.


...País pacato e acolhedor. Excelente oportunidade para a gestão eficaz da marca Portugal.

Actualizações

Introduza o seu e-mail:

Um serviço FeedBurner

Facebook

Consumering

Posts recentes

It's all about the money

O que ninguém avisou.

24-3-2024 – A anunciada E...

Como vencer (leia-se vend...

Onde está o dinheiro?

Como mentir em 6 lições

Ser super-heroi é uma sec...

a pedido

A informação estupidament...

Tradução: Vocês sabem o q...

Arquivo

Consumering

subscrever feeds

blogs SAPO

subscrever feeds